CROÁCIA – I PARTE

CROÁCIA – UM SONHO REALIZADO

Dicas, crônicas e fotos

 Por Flávia Bordogna
Lagos Plitvice

Lagos Plitvice

A Croácia sempre esteve no topo da minha wish list, antes mesmo da guerra que assolou aquele país, quando ela ainda fazia parte da extinta Iugoslávia, que hoje está dividida em seis países: Eslovênia, Croácia, Bósnia e Herzegovina, Sérvia, Montenegro e Macedônia. Depois da separação da República Popular Federativa da Iugoslávia, em 1990, a Croácia passou por um brutal conflito que deixou marcas profundas naquele povo (de 1992 a 1995). Hoje, visitando aquele país, você não imagina que ali foi o palco do conflito mais sangrento na Europa depois da II Guerra mundial.

213

Sempre que eu visitava a Itália, meus amigos enalteciam as belezas daquela costa, mas, por um problema ou outro fui adiando esse encontro, até que um dia convidei duas amigas e, junto com a minha filha, fomos “desbravar” aquele novíssimo país que, para muitos, ainda não estava preparado para o turismo. Ledo engano!  A Croácia é  o máximo! Verdade essa que quatro anos depois, organizei um grupo e voltei àquele país que tanto me encantou, para conhecer as cidades que eu não tinha tido a oportunidade de conhecer em 2009. Hoje a Croácia é um dos destinos turísticos mais procurados da Europa, pela extraordinária beleza de sua costa,  suas lindas cidades, a incrível cor do Adriático e por ainda ser um país barato, pelo menos em relação às outras cidades europeias. O Brasil também se rendeu ao fascínio daquele país e hoje já conhecemos muitas pessoas que visitaram  aquele paraíso, mas na minha primeira visita em 2009, poucos tinham ido à Croácia.

Dubrovnik

Dubrovnik

Ilha Hvar

Ilha Hvar

Trata-se de um país deslumbrante, cercado por montanhas, as Bálcãs, salpicado por mais de 1000 ilhas, um litoral lindamente recortado, parques nacionais, desfiladeiros selvagens, enfim,  um relevo exuberante, que está dividido em seis regiões: Ístria e Área de Kvarner, Dalmácia, Condados do Norte, Croácia Central e Eslavônia e Baranja.

Mapa  da Croácia

Fonte: Atlapedia online

Fonte: Atlapedia online

O ROTEIRO: 

 Estávamos em Milão e já havíamos alugado o carro no aeroporto, partimos então para nossa aventura. Éramos quatro mulheres seguindo para um país ainda pouco conhecido pelos brasileiros. Claro, alugamos o carro com GPS, então não foi tão difícil, as estradas são muito boas, não tão bem sinalizadas como as italianas, mas nada que o GPS não tirasse de letra. Você pode escolher a autoestrada que tem bons serviços, como postos de combustível e lojinhas de conveniência e pagar os pedágios, ou seguir as estradinhas que acompanham a costa, com lindas paisagens, porém um caminho bem mais demorado uma vez que nessas estradinhas a quilometragem permitida é entre 50 km a 80 km e, às vezes, bate certa insegurança, pois  normalmente não vemos muita gente pelo caminho, nem mesmo nos postos de gasolina,  aí você pensa que está perdido, achando que o GPS está doido, mas, não se preocupe, ele vai lhe deixar direitinho no seu destino. Foi o que aconteceu nas duas vezes que estive na Croácia. De qualquer maneira acho que, mesmo com alguns errinhos, alguns percalços, a melhor forma de explorar a Croácia é sem dúvida de carro, apesar de saber que lá os meios de transporte funcionam muito bem.

Nas lindas estradas croátas

Nas lindas estradas croátas

COMO CHEGAR:

Então, caso você queira fazer uma parte de avião, outra de ônibus e até de trem, também é possível.  Saiba que a rede ferroviária da Croácia liga as principais cidades croatas, menos Dubrovnik, que é, sem dúvida, o principal ponto de interesse de uma viagem à Croácia. Você poderia ir para Dubrovnik de ônibus, mas já vi muitos comentários que essa é uma viagem longa e cansativa. Outra opção seria comprar uma excursão que já vem com tudo mastigado ou  ligar para seu agente de viagem e pedir para organizar um roteiro que pareça com você. Bem, vamos voltar ao roteiro, de Milão seguimos para Veneza, onde pernoitamos, curtimos um pouco a cidade e no dia seguinte partimos para a Croácia.  Depois de muito pensar e pesquisar sobre quais cidades visitar, decidimos começar por Opatija, que estava a 228 km de Veneza, assim não ficaríamos tão cansadas e aproveitaríamos melhor a cidade. Então nosso roteiro para a viagem de 2009 foi:

Milão-Veneza-Opatija-Zadar-Trogir-Split-Havar-Dubrovnik                                                                                                                           Quando fomos em 2013 nosso roteiro foi mais completo, pois inclui os Lagos Plitvice e aproveitei a proximidade com a Bósnia e Montenegro para conhecer algumas cidadezinhas incríveis. Então ficou assim:

Milão-Opatija-Lagos Plitvice-/split-Trogir-Hvar-Mostar(Bósnia)-Dubrovnik-Kotor-Budva (Montenegro)-Split-Ancona(Itália)

Nas próximas postagens falarei sobre cada uma dessas cidades e darei algumas sugestões de onde ficar e o que fazer.  Aguardo vocês.

Split - foto tirada em 2013

Split – foto tirada em 2013

Split - foto tirada em 2009

Split – foto tirada em 2009

DICAS RÁPIDAS                

QUANDO IR:                                                                                                                      

Procure visitar a Croácia entre os meses de junho e setembro, quando tudo está acontecendo, esse é um país de praias com águas transparentes, o tempo tem que estar ótimo para aproveitar bem toda aquela beleza, pegar barcos e curtir as muitas festas de verão, além disso, o dia é enorme e você pode aproveitar muito mais;

MOEDA:

Kuna, apesar da Croácia fazer parte da União Europeia, ainda não aderiu ao euro

FIQUE ATENTO:

Tenha sempre em mão um mapa para se localizar, pois você não encontra muitos croatas que falem inglês. Eu me virei falando italiano;

Os croatas não gostam de falar sobre a guerra.

NÃO PERCA:

Aproveite que está na região e visite também Mostar, na Bósnia, e Kotor e Budva em Montenegro. Eu simplesmente adorei essas três cidades.

Ilha de Hvar

Ilha de Hvar